Este site usa cookies e tecnologias afins que nos ajudam a oferecer uma melhor experiência. Ao clicar no botão "Aceitar" ou continuar sua navegação você concorda com o uso de cookies.

Aceitar

Artigos sobre Manutenção Industrial e Gestão de Ativos

Entenda o que é e como funciona a curva da banheira

Luan Santos
Escrito por Luan Santos em 6 de maio de 2022
Fique por dentro

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

A empresa que quer aumentar a vida útil dos seus equipamentos e garantir a continuidade de produção, precisa aplicar a curva da banheira para analisar o desempenho de máquinas e equipamentos. Inclusive, acompanhar o histórico de falhas.

Não sabe o que é curva da banheira, nem como desenvolver esse gráfico? Veja neste post tudo que é preciso saber para dominar o assunto de uma vez por todas!

O que é curva da banheira?

Também conhecida como curva da taxa de falha, a curva da banheira é um gráfico que demonstra a probabilidade de falhas ocorrerem durante a utilização de equipamentos.

Esse mecanismo consegue ajudar na gestão da manutenção, aumentando a confiabilidade do maquinário e evitando que os ativos apresentem falhas ao longo de sua vida útil.

Abaixo, veja a imagem que representa a curva:

curva da banheira

Como funciona a curva da banheira na manutenção?

A curva da banheira é divida em três pontos: infância (também chamada de mortalidade infantil), vida adulta e desgaste. A seguir, veja como identificar cada um desses pontos:

1- Infância (mortalidade infantil)

O termo “infância” remete ao início da vida útil do equipamento. Aqui a taxa de falhas é considerada baixa e, portanto, tende a exigir menos reparos e consertos.
Ainda assim, é possível encontrar alguns problemas nessa etapa do gráfico ocasionados por defeitos de instalação, erros no projeto, montagem incorreta e até uso de componentes inadequados.

2- Vida adulta

Já na fase “adulta” da máquina, a taxa de erros tende a se estabilizar. E essas falhas geralmente estão relacionadas pelo mau uso dos equipamentos, ou até mesmo pelo excesso e sobrecarga do ativo.

3- Desgaste

O desgaste é a fase em que as falhas ocorrem devido a idade avançada da máquina.
As falhas mais comuns, neste caso, tendem a ocorrer devido ao excesso de uso e ao ambiente de trabalho precário. Outro fator que também pode agravar a curva são as revisões incorretas, realizadas durante as manutenções.

Por que é importante conhecer a curva da banheira?

A curva da banheira é uma importante ferramenta para a manutenção de ativos. Possibilita acompanhar o histórico de erros e, com isso, ajudar a empresa na elaboração de estratégias para aumentar a confiabilidade do parque fabril.

O principal benefício da curva da banheira é que ela auxilia na escolha do tipo de manutenção ideal para cada equipamento. Entretanto, existem outras vantagens que também precisam ser mencionadas nesse texto.

Entre elas:

  • Ajuda a mensurar a vida útil dos ativos;
  • Garante mais visibilidade para planejar a manutenção;
  • Aumenta o tempo de garantia de máquinas e equipamentos.

5 maneiras para aumentar a vida útil dos equipamentos

Agora que você já sabe qual a importância e o impacto da curva da banheira para os equipamentos, que tal conferir 5 maneiras para aumentar a vida útil do seu maquinário?

1. Elabore um plano de manutenção

Quando a empresa faz um um plano de manutenção, ela consegue ter controle sobre as tarefas que precisam ser realizadas, bem como definir os técnicos mais capacitados para fazer o serviço. O plano garante mais clareza, o que aumenta a produtividade, e pode ajudar a reduzir o tempo de trabalho e custos com reparos e consertos.

2. Monitore os ativos

Monitorar os ativos nada mais é do que ficar de olho nas máquinas e equipamentos. Essa estratégia tem como objetivo detectar anormalidades que podem vir a se tornar um problema e gerar ainda mais custos para o parque fabril.

3. Esteja atento às condições do ambiente

Para aumentar a vida útil dos ativos, as máquinas e equipamentos precisam estar em um local apropriado e com boas condições de uso. Isso significa que os ambientes onde os ativos ficarão alocados devem sempre estar limpos e livres de agressões externas tais como calor ou frio extremo.

Neste caso, é importante sempre fazer a leitura do manual do proprietário e incluir no plano de manutenção todas as medidas que ajudam a tornar o ambiente mais seguro e propício.

4. Aposte na manutenção preventiva

A manutenção preventiva é um grande aliada para conservar a vida útil do equipamento. Ao realizar reparos e consertos regularmente, a empresa consegue impedir o surgimento de falhas mais severas que podem resultar em gastos financeiros excessivos.

5. Invista em tecnologia

Muitos sistemas de gestão de manutenção foram desenvolvidos para atender todas as necessidades da empresa. Com o Keepfy, por exemplo, a sua empresa consegue fazer a curva da banheira de forma mais simplificada já que pode acessar todo o histórico de falhas dos ativos.

Outros assuntos que vão além da curva da banheira

Se você gostou deste conteúdo, continue lendo o nosso blog e se mantenha atualizado sobre os assuntos envolvendo gestão da manutenção, indicadores de desempenho e ativos.