Este site usa cookies e tecnologias afins que nos ajudam a oferecer uma melhor experiência. Ao clicar no botão "Aceitar" ou continuar sua navegação você concorda com o uso de cookies.

Aceitar

Artigos sobre Manutenção Industrial e Gestão de Ativos

Manutenção Centrada na Confiabilidade: O que é e como pode ajudar?

Luan Santos
Escrito por Luan Santos em 26 de janeiro de 2022
Fique por dentro

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Dados do Ministério da Economia apontam que o Brasil registrou a abertura de mais de 3,3 milhões de empresas em 2020. E, apenas no segundo quadrimestre de 2021, foram criados mais 936 mil CNPJs (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica).

Mas o que esses números representam? Que o mercado está cada vez mais competitivo e que uma empresa precisa buscar novas formas de se destacar das concorrentes.

A manutenção centrada na confiabilidade é uma estratégia que pode ajudar nesse objetivo, uma vez que agrega valor à gestão e aumenta o desempenho de máquinas e equipamentos.

Sua empresa realiza a manutenção centrada na confiabilidade? Veja, neste post, o que é essa modalidade de manutenção, quais seus benefícios e como aplicá-la corretamente no setor.

Esperamos que goste!

Manutenção Centrada na Confiabilidade

O que é a manutenção centrada na confiabilidade?

A manutenção centrada na confiabilidade ou CMM é uma modalidade que foca em manter os ativos da empresa disponíveis e funcionando. Para isso reúne as melhores práticas na gestão e os diferentes tipos de manutenção.

Melhores práticas na gestão da manutenção

  • Controle de estoque de manutenção;
  • Monitoramento de metas e indicadores;
  • Mensuração do desempenho da manutenção;
  • Controle dos custos;
  • Planejamento da manutenção preventiva e preditiva;
  • Implantação de um sistema informatizado.

Tipos de Manutenção

  • Manutenção corretiva não planejada: modalidade voltada para a correção de falhas. Geralmente, implica em altos custos, pois é feita de forma aleatória e isso pode afetar a produção.
  • Manutenção corretiva planejada: categoria que visa a correção das falhas e erros a partir do acompanhamento preditivo ou detectivo.
  • Manutenção preventiva: tipo de manutenção que busca reduzir falhas e manter os ativos funcionando o mais próximo possível de suas condições de fábrica.
  • Manutenção preditiva: modalidade que se apoia em dados para antecipar falhas e impedir que os equipamentos apresentem defeitos.
  • Manutenção detectiva: categoria que atua no diagnóstico de falhas na sua fase inicial. Assim evitando desgaste nas máquinas, custos e acidentes de trabalho.
  • Engenharia de manutenção: especialidade da engenharia que aplica conceitos e estratégias para alcançar a confiabilidade dos ativos.
  • Manutenção proativa: modalidade que busca identificar a causa-raiz das falhas, bem como aplicar o tratamento adequado antes de sua ocorrência.

Para Strauss Sydio e Carlos Roberto, pesquisadores do estudo apresentado no XXIII Encontro Nacional de Engenharia de Produção, a manutenção centrada na confiabilidade deve ser aplicada após análise crítica de todos os ativos.

Análise essa, que começa por meio das seguintes perguntas:

  1. Quais são as funções e padrões de desempenho do ativo no seu contexto atual de operação?
  2. De que forma ele falha em cumprir sua função?
  3. O que causa cada falha funcional?
  4. O que acontece quando ocorre cada falha?
  5. De que modo cada falha importa?
  6. O que pode ser feito para predizer ou prevenir cada falha?
  7. O que deve ser feito se não for encontrada uma tarefa proativa apropriada?

Quais são seus objetivos?

O foco da manutenção centrada na confiabilidade é ajudar a empresa a manter as funcionalidades dos ativos por mais tempo. Entretanto, esse não é seu único objetivo. A modalidade também procura ajudar na:

  • Análise de possíveis falhas;
  • Definição de procedimentos para análise crítica;
  • Identificação de probabilidade de erros;
  • Desenvolvimento de critérios a serem adotados na análise crítica;
  • Elaboração de práticas seguras a fim de garantir a vida útil do ativo.

Principais características da CMM

Como reúne as melhores práticas na gestão e os diferentes tipos de manutenção de ativos, a CMM apresenta características distintas das outras modalidades. Algumas das principais são:

  • Prevenção baseada na condição do ativo: a manutenção leva em consideração o desempenho de cada máquina e equipamento;
  • Manutenção preditiva, detectiva e proativa: a CMM se baseia em dados, históricos de falhas e identificação de possíveis causas para garantir a funcionalidade dos ativos.
  • Análise dos modos e efeitos da falha do ativo (FMEA): realiza a revisão de componentes, mão de obra e até sistemas para identificar modos de falha e efeitos.
  • Análise de falhas e causas raiz (RCFA): a CMM busca descobrir qual a real causa do problema, bem como a melhor ação para solucioná-lo.

Benefícios da CMM

A manutenção centrada na confiabilidade é uma estratégia que oferece diversos benefícios para a empresa. A seguir apontamos os principais:

1- Redução de custos

A manutenção centrada na confiabilidade ajuda a reduzir custos de manutenção porque previne erros e falhas nos ativos A ausência desses problemas, por sua vez, faz com que máquinas e equipamentos desempenhem suas funções adequadamente por mais tempo.

2- Aumento da confiabilidade do ativo e eficiência operacional

Uma vez que desempenham suas funções com excelência, os ativos passam a oferecer mais confiabilidade e eficiência operacional. Diferenciais importantes para o mercado e parque fabril.

3- Melhoria na qualidade dos produtos e aumento da satisfação do consumidor

O aumento da confiabilidade e eficiência operacional dos ativos reflete na qualidade dos produtos que influenciam, consequentemente, na satisfação e fidelização do consumidor.

E afinal, como implantar a CMM?

Nesse momento você pode estar pensando que a metodologia é muito complexa para ser aplicada no setor de manutenção. Porém, sua aplicabilidade pode ser mais simples se a empresa seguir os seguintes passos:

1. Mapeamento dos ativos que farão parte da CMM

A primeira coisa a fazer é escolher as áreas e os equipamentos que farão parte da estratégia. O ideal é que a empresa priorize os ativos críticos porque desempenham um papel fundamental no processo produtivo.

2. Estudo sobre os ativos

O gestor só consegue mapear os ativos corretamente quando conhece as funcionalidades e limites de cada máquina. Assim sendo, estude todos os equipamentos minuciosamente a fim de identificar a importância e criticidade de cada um.

3. Identificação das falhas

Depois de estudar os ativos, liste todas as falhas que as máquinas e os equipamentos podem apresentar. Também as causas que levam esses ativos a falharem. Para isso deve-se fazer a Análise de Modo de Falhas e Efeitos (FMEA).

4. Elaboração de estratégias de manutenção para cada falha no ativo

Depois de identificar as potenciais falhas, é hora de desenhar uma estratégia de manutenção para impedir as causas e assegurar o bom desempenho dos ativos dentro do seu prazo de vida útil.

Por final

Viu só como implementar a manutenção centrada na confiabilidade não precisa ser difícil?

Se mesmo depois das dicas você sentir dificuldade em aplicar a CMM, você pode investir em uma tecnologia que simplifica a manutenção centrada na confiabilidade. O Keepfy, por exemplo, é um sistema integrado que oferece módulos para otimizar a gestão e melhorar o controle de ativos.

Quer conhecer mais sobre essa super ferramenta? Então experimente grátis confira todas suas funcionalidades e diferenciais.

teste grátis

Conta pra gente!

o que você achou deste conteúdo? Escreva nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado.