Este site usa cookies e tecnologias afins que nos ajudam a oferecer uma melhor experiência. Ao clicar no botão "Aceitar" ou continuar sua navegação você concorda com o uso de cookies.

Aceitar

Artigos sobre Manutenção Industrial e Gestão de Ativos

Análise de vibração: você sabe como fazer na sua empresa?

Luan Santos
Escrito por Luan Santos em 12 de novembro de 2021
Fique por dentro

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Evitar falhas nos componentes, desperdícios de energia e desgaste nas peças é um dos principais objetivos da gestão da manutenção. Sem a análise de vibração correta, o setor não consegue alcançar esse propósito. Muito menos impedir que a indústria sofra com irregularidades.

Avaliar as vibrações de máquinas e equipamentos é importante para prever problemas e identificar peças que precisam de reparos. A questão é que muitos profissionais se confundem ou não sabem como fazer uma análise livre de erros.

Você sabe como fazer uma análise de vibração? Se a resposta for não, sem pânico! Escrevemos este post para esclarecer as dúvidas de uma vez por todas.

análise de vibração

Afinal, o que é uma análise de vibração?

Vibração ou oscilação é qualquer movimento repetitivo, regular ou irregular, que ocorre em um intervalo de tempo. Sendo assim, a análise de vibração nada mais é que o processo de examinar esses movimentos.

Em uma indústria, a análise de vibração serve para identificar irregularidades nos componentes como, por exemplo, rolamentos deteriorados, engrenagens defeituosas e problemas hidráulicos. Isso impede que erros prejudiquem o desempenho das máquinas.

Importância da análise na manutenção de ativos

Evitar paradas não programadas e garantir a performance dos ativos é importante para qualquer empresa ter sucesso. Se a companhia consegue fazer isso entrega apenas produtos com qualidade e cada vez mais clientes ficam satisfeitos.

No entanto, se a indústria não faz a análise de vibração corretamente, ela não tem como impedir falhas. E, como consequência, corre o risco de ver as máquinas e os equipamentos apresentando problemas.

Hoje o mercado está extremamente competitivo, e sofrer paradas não programadas pode representar prejuízos enormes.

Pense se o componente de um equipamento crítico apresenta falhas e danifica a máquina, quanto a empresa vai ter que desembolsar para reparar o dano? Ou quanto tempo será preciso interromper as atividades até que o ativo volte a desempenhar suas funções?

A análise de vibração tem um papel fundamental na manutenção preditiva e ajuda o setor na identificação de problemas e na elaboração de estratégias para repará-los.

Tipos de análise de vibração

A análise de vibração é realizada por meio de sensores que são alocados em pontos específicos em uma máquina. Eles captam a movimentação do ativo, por isso é possível descobrir se a vibração está regular ou irregular.

Existem até então três formas de medir essas ondas: medidor de vibração de nível global sem filtro, medidor de vibração com análise de frequência com filtro e análise de frequência.

Abaixo veja os objetivos de cada um deles:

1. Medidor de vibração de nível global (sem filtro)

Esse tipo de análise é utilizado para medir a vibração de um ativo em larga frequência. Nesse caso, é usado um instrumento que consegue medir o valor global das oscilações.

2. Medidor de vibração com análise de frequência (com filtro)

Esse tipo de análise também mede a vibração em larga frequência. Entretanto, o equipamento é utilizado para demonstrar a oscilação dos componentes mais importantes de um ativo.

3. Analisadores de frequência

Esse tipo é utilizado em casos específicos, quando se deseja fazer uma análise de baixa frequência ou quando a largura do filtro é muito estreita.

Como fazer uma análise de vibração?

O procedimento para fazer uma análise de vibração não é necessariamente difícil. Tudo que o profissional encarregado precisa fazer é seguir as etapas abaixo:

1. Definir ativos que serão monitorados

A primeira fase consiste em estabelecer as máquinas e equipamentos que precisam ser monitorados.

2. Cadastrar os ativos no sistema de monitoramento

A segunda fase consiste em cadastrar as máquinas e equipamentos a serem monitorados. No sistema, o profissional deverá indicar faixas de medição, frequência de coleta de dados, parâmetros, entre outros.

3. Estabelecer uma rota de coleta de dados

Nessa fase, o profissional deve definir uma rota para coletar os dados de cada máquina e equipamento que será monitorado.

4. Acompanhar os dados

Assim que tiver estabelecido uma rota de coleta, o responsável deve acompanhar as vibrações de cada ativo.

5. Fazer um relatório com as condições das máquinas

Essa etapa consiste em fazer um relatório com todas as condições das máquinas. Aqui o profissional encarregado precisa esclarecer quais tipos de defeitos foram encontrados.

6: Analisar as vibrações e sugerir um plano de ação

Na última etapa, o profissional deve fazer uma análise sobre as oscilações de ativos e seus defeitos. E, a partir desses dados, sugerir ações estratégicas para reparar problemas nos componentes.

Benefícios da análise de vibração

Impedir falhas nos componentes é o principal benefício da análise de vibração. Contudo, as vantagens não param por aí. A prática ajuda, inclusive, na redução de custos com manutenção e no aumento da eficiência operacional.

A empresa também consegue impedir paradas não programadas, uma vez que reduz quebras incomuns, bem como aumentar a vida útil de máquinas e equipamentos. Pode, ainda, aumentar a sua competitividade no mercado e garantir lucros mais consistentes.

Gostou do conteúdo?

Então que tal conhecer o software de manutenção Keepfy e descobrir na prática como essa ferramenta pode ajudar a simplificar a gestão de manutenção da sua empresa?

teste grátis

Conta pra gente!

o que você achou deste conteúdo? Escreva nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado.