Este site usa cookies e tecnologias afins que nos ajudam a oferecer uma melhor experiência. Ao clicar no botão "Aceitar" ou continuar sua navegação você concorda com o uso de cookies.

Aceitar

Artigos sobre Manutenção Industrial e Gestão de Ativos

Manutenção Preventiva ou Corretiva? Como escolher?

Guilherme Bogo
Escrito por Guilherme Bogo em 5 de novembro de 2020
Fique por dentro

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Pode não parecer, mas a maioria das empresas ainda têm dificuldade na hora de selecionar a melhor modalidade para as máquinas e equipamentos, justamente porque não entendem a diferença entre uma manutenção e outra.

Ambas são utilizadas no campo fabril e possuem particularidades que podem (ou não) otimizar a produção. Sendo assim, saber escolher a modalidade adequada para cada ativo se torna uma ação estratégica para a empresa manter o chão de fábrica funcionando.

Quer saber qual é o tipo de manutenção mais indicado para os seus ativos? Veja, neste post, como funciona a Manutenção Corretiva e a Manutenção Preventiva, quais são os seus diferenciais e como é possível definir a modalidade certa para cada máquina e equipamento. Confira!

Manutenção Preventiva ou Corretiva? Como escolher?

Manutenção Preventiva X Manutenção Corretiva

A Manutenção Corretiva está relacionada à correção de problemas que impedem o bom funcionamento das máquinas e equipamentos. Esses problemas normalmente são responsáveis por atrasar o processo produtivo, que podem prejudicar os negócios e até mesmo a lucratividade.

Nessa modalidade de manutenção, as empresas geralmente esperam o componente apresentar uma falha ou defeito para só então buscar alternativas para solucioná-lo. Por exemplo, substituindo os elementos danificados ou desgastados por peças novas.

Por não ser programada e nem planejada, a Manutenção Corretiva acaba sendo considerada a modalidade mais custosa entre os outros tipos de manutenção. Isso porque, quando ocorre a paralisação de um equipamento, a empresa precisa desembolsar um valor alto para fazer o maquinário voltar a funcionar.

Como não existe a prevenção contra as falhas dentro da Manutenção Corretiva, a empresa acaba correndo o risco de lidar com a paralisação inesperada de alguns ativos. E, nesse caso, é possível que a sua produção fique comprometida bem como o cumprimento das entregas e o alcance dos resultados.

Manutenção Preventiva

A Manutenção Preventiva envolve uma série de estratégias para impedir ou amenizar as falhas das máquinas e equipamentos. Diferente da Manutenção Corretiva, essa modalidade é planejada e realizada de forma periódica dentro da indústria.

Com base em um cronograma, os profissionais responsáveis pelo setor conseguem monitorar e controlar os ativos, impedindo que os problemas ocorram. Por ser realizada regularmente, esse tipo de manutenção contribui para que as máquinas e os equipamentos operem com o máximo de eficiência.

Como a modalidade permite prever a ocorrência de falhas, a indústria é capaz de antecipar problemas. Logo, os desgastes e danos ocorridos dentro do campo fabril acabam sendo bem menores.

Manutenção Preventiva ou Corretiva: qual escolher?

Embora a Manutenção Corretiva pareça a opção menos interessante, a verdade é que ambas as modalidades possuem vantagens e desvantagens. Assim sendo, uma não é melhor do que a outra e a aplicação de cada categoria vai depender unicamente do nível de criticidade dos equipamentos.

A Manutenção Preventiva, por exemplo, é uma modalidade que até pode ajudar na contenção das falhas, na melhora do desempenho dos ativos e na redução da degeneração das máquinas.

Porém, ela possui contras que podem ir desde a definição errônea dos trabalhos, equívocos na gestão de estoques, falhas na organização até a elaboração de métodos equivocados que podem prejudicar o rendimento ou qualidade da operação.

Já a Manutenção Corretiva, conhecida por gerar gastos elevados com serviços, peças e mão de obra, oferece benefícios que também são interessantes. Alguns deles são a redução de perdas na produtividade, conservação no desempenho das máquinas e substituição de peças auxiliares de baixo valor.

Ou seja, ambas as modalidades podem ser benéficas para a empresa se utilizadas corretamente. Mas, para que a indústria saiba implementá-las do jeito certo, é necessário examinar qual é a criticidade dos equipamentos e com base nessa análise averiguar qual é o tipo de modalidade ideal para cada ativo.

A criticidade dos equipamentos está diretamente relacionada às prioridades da empresa. Isto é, a indústria precisa saber definir a importância de cada máquina para descobrir quais são aquelas que podem ou não sofrer com as paralisações.

Assim que é definido quais são os maquinários mais críticos dentro do processo produtivo, a fábrica consegue distinguir as máquinas que podem receber a Manutenção Corretiva daquelas que precisam de uma Manutenção Preventiva.

Experimente o Keepfy por 14 dias grátis

Conta pra gente!

o que você achou deste conteúdo? Escreva nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *