Este site usa cookies e tecnologias afins que nos ajudam a oferecer uma melhor experiência. Ao clicar no botão "Aceitar" ou continuar sua navegação você concorda com o uso de cookies.

Aceitar

Artigos sobre Manutenção Industrial e Gestão de Ativos

Indústria 4.0: as tendências para 2021

Guilherme Bogo
Escrito por Guilherme Bogo em 20 de maio de 2021
Fique por dentro

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

O Brasil vem investindo na indústria 4.0 há algum tempo. Grandes e médias indústrias vêm avançando, mas a transformação digital ainda é uma meta distante para a maioria das empresas.

A mudança é dificultada em grande parte pela cultura empresarial baseada no padrão de controles físicos da produção, por meio de papéis, mapas e formulários.

Enquanto, no mundo, a indústria 4.0 está se desenvolvendo mais rapidamente, o Brasil ainda enfrenta grandes desafios. Veja, neste artigo, o que é indústria 4.0, como ela progride no mundo, como está o desenvolvimento no Brasil e quais são as tendências para 2021.

Indústria 4.0: as tendências para 2021

O que é a indústria 4.0

A indústria 4.0 engloba a automação industrial e a integração de diferentes tecnologias: inteligência artificial, robótica, internet das coisas e computação em nuvem.

A finalidade é promover a digitalização das atividades industriais, melhorando os processos e aumentando a produtividade.

Vislumbrando a importância da transformação digital, indústrias do mundo inteiro começaram a investir em tecnologias que, hoje, englobam a Indústria 4.0.

Potências mundiais mais desenvolvidas lideram esta corrida, pela situação político-econômica estabilizada, além da presença de fábricas prontas para a implementação de novas tecnologias.

Segundo pesquisa publicada pela McKinsey & Company e pela World Economic Forum, em todo o mundo há indústrias consideradas faróis da inovação. A maior parte delas está na Europa, na China e nos Estados Unidos.

Os números da Indústria 4.0 no Brasil

No Brasil, para seguir em frente e alcançar o patamar da indústria 4.0 do resto do mundo, o governo federal criou a Agenda Brasileira para a Indústria 4.0 em 2017.

Trata-se de um plano de 10 medidas para facilitar e fomentar a inovação no setor fabril do País. A ideia é oferecer condições para que os empresários alcancem a transformação digital, aumentando a competitividade da indústria nacional.

Segundo a CNI, menos da metade da indústria (apenas 48%) utiliza alguma tecnologia digital. A adoção é maior principalmente nas empresas de grande porte. Mas os empresários começam a perceber a importância da tecnologia para o desenvolvimento de novos produtos e modelos de negócio.

O País terá de enfrentar vários desafios para assumir um papel na Indústria 4.0. Entre eles, adotar uma nova concepção de política industrial, que permita o desenvolvimento ágil da tecnologia para diminuir a distância de alguns dos principais concorrentes.

Todas estas questões são detalhadamente descritas no relatório Desafios para a Indústria 4.0 no Brasil, da CNI.

Os impactos da pandemia na indústria 4.0

Os impactos da Covid-19 são imensos, mas nem todos negativos. Diante do novo “normal”, em que tudo é feito a distância, as tecnologias que impulsionaram a indústria 4.0 ofereceram soluções para dar continuidade aos negócios.

Com isso, os obstáculos que impediam a transformação digital foram caindo. Como diz Satya Nadella, CEO da Microsoft: “Vimos dois anos de transformação digital em dois meses”.

Com a pandemia, acelerou-se a adoção das tecnologias da indústria 4.0, já que o mundo passou a depender da computação em nuvem, inteligência artificial, velocidade da rede 5G, big data e muitos outros recursos.

Diante deste cenário, veja as tendências da indústria 4.0 em 2021.

Tendências da indústria 4.0 para 2021

Em 2021, a adoção de novas tecnologias deve crescer. Entenda as tendências da indústria 4.0, que podem impactar os meios de produção.

1. Internet Industrial das Coisas

A digitalização continuará a se espalhar e amadurecer dentro das indústrias. A Internet Industrial das Coisas (IIoT) conectada deve se aprofundar e ampliar sua presença. Além disso, haverá aplicativos de inteligência artificial cada vez mais sendo suportados por dispositivos e sensores conectados por meio da Internet Industrial da Coisas.

2. Manufatura aditiva

Consiste na criação de objetos sólidos tridimensionais a partir de projetos de modelos digitais. A tecnologia envolve a impressão 3D, que constrói objetos fazendo sobreposição de diversas camadas de um material. Até agora, ela tem sido usada na produção de pequenos objetos, mas a tendência é que seja aplicada em grandes volumes.

3. Sustentabilidade

A preocupação com o impacto do processo produtivo sobre os recursos naturais é crescente. Assim, sustentabilidade e inovação verde vêm se tornando cada vez mais presentes nos produtos e nos meios de produção. Em 2021, essa discussão continua e renderá bons frutos.

4. Crescimento do 5G e fábricas inteligentes

A indústria 4.0 ganhará ainda mais força com o 5G. A velocidade e a qualidade da rede 5G oferecem muitas vantagens operacionais para as fábricas inteligentes.

Além de aumentar a velocidade, o 5G permite que os gestores utilizem o máximo do potencial da Internet das Coisas, automatizando uma infinidade de processos.

As redes 5G prometem dar uma base muito sólida para as indústrias do futuro. Ainda hoje predomina o ethernet na infraestrutura de muitas indústrias. Contudo, esse cabeamento implica altos custos de manutenção e instalação.

5. Aprendizado de máquina

O aprendizado de máquina tornará os sistemas Enterprise Asset Management (Gestão de Ativos Corporativos, em português) mais proativos. A finalidade é que estes sistemas sejam capazes de adquirir e integrar o conhecimento autonomamente.

O machine learning mapeia o comportamento dos equipamentos para descobrir situações diferentes do padrão, que venham a produzir falhas ou um ponto de manutenção.

Quanto mais o sistema é exposto a novos dados, mais respostas são produzidas pelo algoritmo inteligente.

A vantagem é permitir uma tomada de decisão mais assertiva e ágil aos gestores para aprimorar os processos de planejamento e programação de manutenção.

6. Digital twin

O gêmeo digital é a versão virtual de um equipamento físico. Ele inclui um modelo de dados que permite testes e é utilizado para avaliação técnica de máquinas e equipamentos. Com esta tecnologia é possível prever as consequências de determinadas ações, antes que sejam colocadas em prática.

Combinando o gêmeo digital com o machine learning, estima-se que o aprendizado será mais rápido, oferecendo alternativas e previsões com algoritmos programáveis e inteligência artificial específicos para cada equipamento.

7. Realidade aumentada

Outra tendência é a realidade aumentada (RA), tecnologia que sobrepõe objetos virtuais no mundo real de forma integrada ao ambiente físico. A realidade aumentada permite simular tarefas, gerando oportunidades de interação entre o mundo real e o virtual.

Na manutenção de máquinas e equipamentos, o colaborador poderá receber auxílio remoto de especialistas. Além disso, poderá visualizar diretamente no display do dispositivo, permitindo uma resolução mais ágil e assertiva. Os benefícios desta tecnologia são a melhoria na eficiência produtiva e mais assertividade nas ações de manutenção.

A indústria 4.0 pode demorar ainda no Brasil, mas é uma tendência global inevitável: as máquinas serão cada vez mais inteligentes e os processos de produção continuarão se alterando. Para se atualizar sobre o assunto, continue acompanhando nosso blog.

Experimente o Keepfy por 14 dias grátis

Conta pra gente!

o que você achou deste conteúdo? Escreva nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *